MATÉRIAS

▉ O PONTO DE ENCONTRO DOS CINEMATOGRAFISTAS DO BRASIL ▉

Loading...

terça-feira, 20 de abril de 2010

TRIPÉ E CABEÇA MANFROTTO

Sempre procurei na internet "test motion" com tripés, mas nunca encontrei. Então resolvi fazer este teste e colocar a disposição dos interessados em adquirir esse equipamento. Aliás, fundamental para uma boa imagem. Jamais deve-se economizar na compra de um deles. Estão diretamente ligados a preço=qualidade. Nosso tripé de hoje é o 028b e com cabeça 501 HDV.

O modelo escolhido foi o tradicional bom, bonito e barato para cameras do tipo PD, Z7, NX5. Adquira também o case caso você seja chato como eu e goste de equipamento sempre novo, sem arranhão.

O tripé Manfrotto fica acondicionado confortavelmente no case todo acolchoado. Pena que ele não acompanha o tripé. Deve ser adquirido separadamente.

Leve, robusto, todo em alumínio, é retrátil e trabalha em uma altura boa para planos baixos. Quando se aumentam as pernas e ainda suspende-se o eixo central a câmera fica situada a uma altura suficiente para que as pessoas não atrapalhem. As pernas são duplas dando boa estabilidade em todo o sistema.

Essa é a cabeça Manfrotto modelo 501 HDV. Opções de colocação do manete no lado esquerdo (para destros), sistemas de travas de segurança e bom grau de inclinação. Movimento fluído suave, gira 360 graus, tilt alto para 45 graus e tilt baixo para 90 graus. detalhe: Tem bloqueio separado para giro e inclinação.


Uma boa sacada da Manfrotto foi a confecção da cabeça em teflon. Na foto acima observe um botão onde, ao girar, exerce pressão e cria uma fricção no movimento. Dessa forma pode-se ajustar com precisão a potencia do movimento do manete com a câmera. Acima da logomarca vemos a trava do engate rápido. A câmera não cai.


Já esse botão serve para o ajuste de pressão e travamento do tilt. Bem ergonomico. A cabeça 501 HDV foi produzida para suportar peso de câmeras até 6 Kg. Mas já vi gente usando as antigas JVC de 12 Kg. Talvez suporte mas acredito que o excesso faça criar folgas durante o uso.


Mais pontos positivos: pescoço com cremalheira, manivela de suspensão da cabeça, nível de bolha para ajuste de horizontal e suporte para alça de transporte (que acompanha o conjunto).




Eis o detalhe do modelo do tripé. Em conjunto com a cabeça, torna-se uma dupla invencível. A resistência deste tripé permite que possamos usar uma Sony HVR-Z7 juntamente com o kit Letus Elite. 7 kg  no total.


As pernas duplas dão toda a resistência ao conjunto. Durante o movimento de câmera não há nenhum balanço lateral indesejado. E quando se trabalha com o tripé todo retraído, fica melhor ainda. Perfeito para uso com dolly. No teste não houve vibração e o movimento da cabeça não foi prejudicado. Existe ainda um acessório extra que se chama "estabilizador de piso" que é uma estrela de tres pontas que seguram as pontas das pernas do tripé.


Conclusão: Tripé forte, resistente e sem surpresas. Vale cada centavo investido pois ele terá a durabilidade em condições perfeitas durante anos. Meu modelo anterior, também 028 de alumínio claro, já tem duas décadas e ainda está pronto para o combate! Esqueça os tripés xinguilings pois duram o tempo da garantia. Posso dizer isso assinando embaixo pois tenho modelos chineses (não direi a marca) que simplesmente quebraram.


Em se tratando de tripé, não economize. Paguei R$ 320 no case, R$ 950 no tripé e R$ 650 na cabeça. Tudo dividido em 6x. Se não tiver o valor para comprar, espere e junte uma grana a mais pois valerá a pena. Aconselho comprar das marcas Manfrotto, Libec, DMS, Tiffen e ponto final.



...

● Quem está aqui agora

● Estamos chegando a 2 milhões de acessos!

Twitter Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Download from Blog Template