MATÉRIAS

▉ O PONTO DE ENCONTRO DOS CINEMATOGRAFISTAS DO BRASIL ▉

Loading...

domingo, 11 de abril de 2010

COMO PRODUZIR UM SHOW

Atendendo a pedidos coloco aqui um pouco de minha experiência e conhecimento a respeito de produção de show. Já fiz de tudo: diretor de show, operador de câmera, operador de grua, coordenador, assistente de palco, etc.

Apresento um pequeno "beabá" de uma estrutura de gravação e um cronograma de como começar um processo a partir da aprovação e fechamento de um orçamento. Me preocupei em montar todo esse croquí para que você possa entender cada etapa e depois montar seu planejamento, mapa de palco, quer seja com 2 câmeras ou 20. Não importa.

Durante o show que fiz de Loalwa Brás utilizei 4 câmeras com takes definidos
Nesta minha estrutura montada para sua avaliação estou colocando a cobertura com 5 câmeras, que estão dispostas da seguinte forma:

01 Câmera na Grua
03 Câmeras no Tripés
01 Câmera no Ombro


A grua foi posicionada na área vip que estava fechada para o público
Primeiramente você deve ir ao local e fazer uma avaliação de posição de palco, público e equipamentos. Eu sempre gosto de discutir com o pessoal da banda o posicionamento de PA, instrumentos, vocais, a fim de adequar minha equipe dentro da estrutura deles. A partir deste diálogo já tenho como montar um mapa de palco (aqui numa montagem em 2D para facilitar minha explanação) de todo o posicionamento da estrutura de palco da banda.


MAPA DE PALCO. FUNDAMENTAL PARA O COMEÇO DO PLANEJAMENTO DE UM SHOW

Próximo passo: Monto um plano de vista superior (aqui também caprichado - normalmente rascunho na caneta mesmo) para começar a definir, a partir do número de câmeras, onde cada uma estará situada e o que cada uma cobrirá. Jamais coloque seus cinegrafistas para filmar a esmo, cada um do jeito que achar melhor. Isso deixará a produção totalmente desorganizada, a edição complicada e a pós produção do DVD poderá sofrer danos irreparáveis.



PLANO DE VISTA SUPERIOR PARA DEFINIR POSICIONAMENTO DE CÂMERA

Nesta fase do croquí, já defini posicionamento das câmeras e quem filma o quê. Na figura abaixo coloquei cores para identificar mais facilmente o plano de cobertura das câmeras. Minha decisão não é definitiva. Troco idéia com a equipe para ouvir o comentário de cada um. Isso é importante já que cada um tem uma forma muito pessoal de trabalhar e a gravação de um show deve ser vista, mais do que um trabalho, como um prazer, uma curtição.

Nossa banda "virtual" deste projeto conta com 8 integrantes. Cavaquinho, baterista, 3 backing vocals e os líderes e destaque do grupo que ficam posicionados em frente a banda, o baixista, o vocalista (que também é tecladista) e o percussionista.



AMARELA - CÂMERA FRONTAL-CENTRO COBRE APENAS O VOCALISTA
AZUL - CÂMERA FRONTAL-ESQUERDA COBRE APENAS BAIXO E CAVAQUINHO
VERMELHO - CÂMERA FRONTAL-DIREITA COBRE APENAS PERCUSSÃO E BACKING VOCALS
VERDE - CÂMERA DE PALCO, NO OMBRO, QUE COBRE FUNDO DE PALCO E EVENTUALMENTE O PÚBLICO
LILÁS - GRUA, QUE COBRE TODOS OS INTEGRANTES E AINDA SE MOVIMENTA POR SOBRE O PÚBLICO

Como antes do "ao vivo" faremos uma gravação sem público, deixei apenas uma câmera para acompanhar o vocalista. Mas você pode optar por deixar as laterais também incumbidas de pegar alguns takes do lider da banda. Basta que isso seja devidamente programado para não ficar partes do palco descoberto.

DICAS ÚTEIS
Antes de definir o posicionamento, analise o local e veja se há espaço para circulação dos câmeras e se eles podem ficar escondidos das outras câmeras. Só espaço não significa nada. Analise fios, cabos e iluminação que ocupam estes espaços e que podem se tornar uma armadilha durante a gravação. Se precisar, mude todo o organograma para adequação da configuração final do palco.

Faça uma reunião com todos os envolvidos. Se tiver fazendo o uso de inter-comunicador, seja prático e objetivo. Não fique falando demais pois isso só atrapalha a equipe. caso não tenha comunicação entre os câmeras, quem faz e grava o quê deverá ser uma regra a ser seguida. Nestes casos costumo deixar apenas a grua com pouco mais de liberdade, afinal ela é detalhe e não tomada principal.
Neste show sertanejo, toda a equipe estava com intercomunicador
Vai começar uma música. Todos ficam à postos em seu alvo. A câmera frontal-centro deve sempre começar com a cena aberta, de ponta a ponta do palco, imóvel durante a introdução. Quando o vocalista começar a cantar, aí sim, a cena é fechada em direção a ele e permanece assim. Só vai abrir a cena novamente quando a música acaba. Esta câmera será seu suporte na edição, já que as outras, fechadas em meio-plano ou close, podem gravar aquela "relaxada" do músico que sempre se abaixa, olha de lado, lambe os lábios, etc....que é comum ao encerrar a música. estas imagens devem ser excluídas na edição.

Ao começar o show, aperte o REC de todas as câmeras e não desligue mais. Será funda,mental para o sincronismo de áudio e vídeo durante a edição.

Evite posicionar uma câmera de frente para outra. Não tem coisa mais feia do que um cinegrafista filmar o outro e ficar aparecendo no show. Isso dá ar de amadorismo e nossa busca de perfeição é exatamente nenhuma câmera aparecer. Importante é que a equipe esteja toda de roupa preta e, preferencialmente, sem marca da produtora com tamanho grande que fique chamando a atenção. O destaque no palco é a banda.

Nesta foto eu estou fazendo a câmera de palco e planos do público
Caso você vá cobrir o show com 1 ou 2 câmeras, estude antecipadamente cada posicionamento da equipe, cada música pra saber quem vai cantar e tocar e procure ser o mais perfeito possível. Menos câmera há maior risco de não se ter a imagem certa para cobrir buracos ou imperfeições nas tomadas. Neste caso explore a gravação sem público, gravando a mesma música mais de uma vez.

Show preparado para gravação requer uma iluminação de palco diferente. Deve-se solicitar mini-bruts posicionados para o público, o palco deverá receber uma luz branda e fixa durante todo o show além das temáticas, de cores e movimentos, não ter momentos de blecaute nem canhão-perseguidor (haja íris para se ajustar nestes momentos!). Lembre-se que em shows não se usa iluminação por sobre as câmeras.

Uma coisa comum nos grandes centros e incomum em outras localidades é a contratação de empresa especializada em gravação de som direto. Este não é um trabalho de quem capta imagens. O contratante deverá saber que são trabalhos distintos e fundamentais para um resultado final perfeito. Som captado por câmeras servem apenas como guia para colocação posterior da trilha sonora. Em diversas cidades do Brasil existem empresas exclusivas para a gravação de áudio de show, muitas delas entregando a produtora já em 5.1 canais para serem inseridas no DVD.

Mais importante do que o registro do show ao vivo, é a gravação da banda sem público. São estas imagens que mostrarão o detalhe de cada músico e instrumento. E que serão fundamentais para a pós-produção final do seu trabalho. Neste caso, a banda deve se colocar no palco e tentar manter um clima de "ao vivo" sem público e fans. Coloque seus cinegrafistas sobre o palco e defina quem vai gravar quem. estas cenas serão quase que todas em planos fechados e close-ups, já que não devem demonstrar que não há público. Grave fechado mesmo. Durante cada música, permita que cada cinegrafista crie, se movimentando, gravando tomadas do alto, de baixo, detalhes de cordas, teclados, etc. Cuide para que o baterista tenha uma câmera exclusiva, fixa em um tripé alto, imóvel. Estas imagens serão fundamentais para início e final de música na edição.

Durante so shows ao vivo em que dirijo ou sou dirigido, deixamos claro durante a divulgação e ao público presente, que é uma gravação para DVD. Isso permite que os músicos parem o show para começar novamente uma música caso algo saia errado. Nas fotos abaixo que postei uma de nossas produções, eu, como cinegrafista (câmera frontal-esquerda) tive a liberdade e autonomia de parar o show por duas vezes para troca de fitas da minha câmera e da grua. A banda parou várias vezes pois começavam a música com erros, esqueciam a letra, deu microfonia e em alguns momentos o cantor chamava as pessoas que estavam no show para se aproximar do palco, pois criavam-se buracos de público....
O público entende, pois trata-se de um show para gravação de DVD!

Nessa sequencia de fotos e já colocando em prática as minhas dicas, tente analisar e fazer um planejamento de show com mapa de palco e croquí de câmeras como se este show fosse seu. Neste local (Adega Eventos) onde gravamos o show da dupla Higino & Gabriel não havia espaço nenhum para o cinegrafista ficar em cima do palco. Trabalhamos na área do público.



UM LEVE ENSAIO PARA DEFINIRMOS O POSICIONAMENTO DE CADA UM

PREPARANDO A GRUA PARA A GRAVAÇÃO SEM PÚBLICO. FICOU SOBRE O BATERISTA

AQUI A EQUIPE TODA EM CIMA DO PALCO GRAVANDO DETALHES QUE SERÃO FUNDAMENTAIS NA PÓS-PRODUÇÃO

UM CINEGRAFISTA (PRIMEIRO PLANO) ESPECIALMENTE PARA A GRAVAÇÃO DE MAKING OF

UM ÂNGULO MAIS LATERAL PARA UMA ANÁLISE MAIS CRÍTICA DO CENÁRIO

FINALMENTE O SHOW ACONTECENDO COM A CASA LOTADA E TODA EQUIPE POSICIONADA DE ACORDO COM O MAPA DE PALCO E POSICIONAMENTO DE CÂMERAS PRÉ-DEFINIDOS. NA IMAGEM APARECEM A GRUA E A CÂMERA QUE EU ESTAVA OPERANDO. UTILIZAMOS AS CÂMERAS TODAS IGUAIS, DA SONY, HVR Z7, COM REGISTRO EM FITA. TOTAL DE 10 HORAS DE IMAGEM PARA UM SHOW DE APENAS 1H20 DE DURAÇÃO.

Show da Banda Clube Big Beatles realizado em Liverpool, Uk e dirigido por mim. Foi apenas uma edição-guia para sincronizar o áudio final na pós produção.


Agradeço ao diretor do show, Augusto da Invicta, por nossa contratação no registro deste DVD e pela autorização da publicação das fotos em meu blog. Muito obrigado.
...

● Quem está aqui agora

● Estamos chegando a 2 milhões de acessos!

Twitter Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Download from Blog Template