MATÉRIAS

▉ O PONTO DE ENCONTRO DOS CINEMATOGRAFISTAS DO BRASIL ▉

Loading...

segunda-feira, 29 de março de 2010

USO DE FILTROS NAS GRAVAÇÕES






















  • Filtros de Correção
  • Filtros de Conversão p/ Tungstênio
  • Filtros de Conversão p/ Luz do Dia
  • Sun 85 e Filtros de Densidades Neutras
  • Painéis Acrílicos
  • Filtros p/ Lâmpadas Fluorescentes
  • Materiais Difusores
  • Materiais Refletores
  • Gelatina Densidade neutra

TEMPERATURA DE COR 
Toda fonte de luz tem, de alguma forma, uma variação de cor na sua composição, geralmente estas fontes variam do vermelho ao azul. Por exemplo, a cor da lâmpada de casa é avermelhada enquanto a cor da luz do céu é azulada. Um sistema foi inventado, por assim dizer, para expressar esta variação de cores chamada ESCALA KELVIN DE CORES. Esta, baseada na teoria da cor do “corpo negro”, onde não existe nenhuma temperatura.
A sua variação abrange do vermelho de um por do sol ao azul de um céu ao meio dia.
Para determinar corretamente uma cor é usada a escala MIRED – Mínimo grau de Alternância) – Unidade de cor usada para calibrar filtros de correção.

BALANCEAMENTO DE COR

Normalmente uma lâmpada é de cor avermelhada como a cor do sol ao entardecer e, ao meio dia, temos uma cor ‘branca’ de 5500°K.
A vista humana se adapta rapidamente a estas variações, mas os filmes ou as câmeras de vídeo têm uma tolerância mínima de aceitação para estas variações da cor branca e se faz necessário um balanceamento para compensá-las.
São encontrados, para filmes, dois tipos de emulsões, uma para o branco de 3200°K (branco de estúdio) e outra para 5500°K (branco do dia exterior).


FILTROS CORRETIVOS DE COR
são específicos para modificar as temperaturas de cor. Os tons AZUIS aumentam a temperatura de cor das fontes luminosas e os tons AMBAR abaixam a temperatura de cor das fontes luminosas.
Assim um equipamento preparado para captar imagem em 3200°K pode captar imagem de exterior de dia 5500 /K e vice versa.

O BALANCEAMENTO DE COR
serve para igualar as diversas temperaturas de luz do ambiente com a temperatura estipulada para o equipamento de video ou filme.
Se um câmera ou filme estão preparados para captar em 3200°K e estivermos trabalhando no exterior, teremos que usar um filtro em tom Ambar para abaixar a temperatura de cor do dia, de 5500°K para 3200°K, balanceando assim a luz do dia. Se, caso contrário, estivermos preparados para captar em 5500°K e estivermos com luz de estúdio 3200°K, teremos de usar um filtro em tom de azul para elevar a temperatura de cor da luz, de 3200°K, dos refletores, até 5500°K. Estes são os casos mais simples de balanceamento de cores.
O balanceamento se torna um pouco mais complicado quando temos uma mistura de várias fontes de luz. Neste caso, teremos de escolher com qual temperatura de cor (ou branco) iremos captar a imagem.

De qualquer maneira teremos sempre de igualar (balancear) as fontes de luz com o equipamento ou filme. Suponhamos, temos uma câmera preparada para captar em 3200°K e estamos trabalhando em um ambiente de luz branca de estúdio, mas temos uma janela que capta luz branca de exterior (5500°K).

Duas opções são oferecidas:
1ª: Colocaremos na janela um filtro de gelatina âmbar para abaixar a temperatura da luz do dia 5500°K para 3200°K, balanceando assim as fontes de luz com a camera e pronto.
2ª: Colocaremos nas fontes de luz branca de estúdio um filtro gelatina azul, igualando assim as temperaturas, interior com o exterior de 5500°K.

DESCRIÇÃO DOS FILTROS

Filtros De Conversão P/ Tungstênio

Os Filtros de Conversão para Tungstênio compõem um arranjo de gelatinas azuis que elevam a temperatura de cor conforme a necessidade. Embora tipicamente usadas em fontes de tungstênio ou halogênio, para igualar a Luz do Dia, estas gelatinas oferecem uma grande variedade de possibilidades técnicas e estéticas de correção de cor. O material é profundamente pigmentado por estabilidade do calor e transmissão superior de cores.

Filtros De Conversão P/ Luz Do Dia

Os filtros de conversão p/ Luz do Dia são um arranjo de gelatinas âmbar que abaixam a temperatura de cor conforme a necessidade. Embora tipicamente usados em fontes Luz do Dia 5500ºF, para balancear com tungstênio, estas gelatinas oferecem uma grande variedade de possibilidades técnicas e estéticas de correção de cor. O material é profundamente pigmentado por estabilidade do calor e transmissão superior de cores. Usa-se colocar na janela um filtro de gelatina âmbar para abaixar a temperatura da luz do dia 5500°K para 3200°K.

Filtro ND com Âmbar

Os filtros de conversão para Luz do Dia são uma série de gelatinas de tons amarelos âmbar que abaixam a temperatura de cor conforme a necessidade. Estas gelatinas oferecem a versão "mais amarela" da tradicional e são calibradas com as mesmas propriedades de correção de cor e transmissão. O material é profundamente pigmentado por estabilidade do calor e transmissão superior de cores.
Estes filtros geralmente são aplicados em janelas, para correção de cor e/ou redução da intensidade de luz.

Painéis Acrílicos

Controlam a Luz e estão disponíveis em folhas acrílicas para correção de Luz do Dia ou redução da intensidade da luz.

Filtros Para Lâmpadas Fluorescentes

A luz fria fluorescente padrão oferece uma boa aproximação da luz do dia, exceto pela aparente matiz verde. Quando a luz fria fluorescente é encontrada em filme ou vídeo, duas técnicas de correção de cor estão disponíveis: balancear todas as fontes para as fluorescentes ou balancear as fluorescentes para a fonte de referência.

Difusores

Existem os mais avançados produtos para difusão com diversos materiais diferentes. Com graduações de densidades próprias que visam proporcionar uma vasta gama de variações, desde uma simples difusão que suavize ligeiramente as sombras até um material bastante denso que venha eliminar ligeiramente qualquer tipo de sombra.
Basicamente são usados dois tipos de materiais plásticos: termo resistentes e não termo resistentes.
Alguns materiais podem ser soldados ou costurados para utilização de difusores de grande tamanho (Butterflies).
Estes materiais são moderadamente resistentes ao calor e desta maneira deve-se manter certa distancia da fonte luminosa (refletor).

Gelatina de Densidade Neutra

ND gel (Neutral Density gel) é o tipo de gelatina utilizada para diminuir a intensidade de determinada fonte de luz. Podendo ser combinada com outros tipos de gelatinas, a gelatina do tipo ND não altera a temperatura de cor da luz, somente diminui sua intensidade. Um exemplo é a gravação em uma sala onde existe uma janela de vidro, através da qual há a vista para uma paisagem fortemente iluminada pelo Sol. Desejando-se incluir esta paisagem na gravação, juntamente com os objetos/pessoas do interior da sala, haverá um problema, criado pelo contraste de luminosidade: ao ajustar-se a exposição para o interior da sala, a paisagem ficará com tonalidade 'lavada', com pouca definição de detalhes, característica da super exposição.

Para corrigir o problema, podem ser estendidas folhas de gelatinas do tipo ND sobre o vidro da janela. Fabricada em diversas graduações (que reduzem em maior ou menor grau a intensidade da luz), o uso da gelatina ND permitirá no exemplo a correta exposição do interior da sala com a paisagem da janela ao fundo.

Na foto do topo: O iluminador é do tipo de varanda com adaptação com cabo de panela. Pra usar os filtros diretamente na câmera deve-se adquirir um mattebox. Criatividade é tudo!
...

● Quem está aqui agora

● Estamos chegando a 2 milhões de acessos!

Twitter Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Download from Blog Template