MATÉRIAS

▉ O PONTO DE ENCONTRO DOS CINEMATOGRAFISTAS DO BRASIL ▉

Loading...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

FLYINGCAM DIMTEC

Usando na dose exata, imagens em steadi podem dar um grande diferencial a sua produção

Toda a magia das grandes produções cinematográficas podem estar ao seu alcance, basta querer e poder. Querer todo mundo quer. Poder é questão de desembolsar R$ 2.500,00 para adquirir o estabilizador de imagens fabricado no interior de São Paulo e que não deixa nada a desejar aos importados. Estamos falando do FlyingCam Prolite Dimtec, mais conhecido com steadicam.

Num mundo cada vez mais concorrido, equipamentos diferenciados atraem clientes e bons lucros.

Com a quantidade de pessoas fazendo a mesma coisa, nada mais adequado do que procurar equipamentos e técnicas que diferenciem um profissional do outro. E principalmente o resultado final. Por isso, para quem quer estar na ponta, é fundamental investir em ferramentas que tragam uma produção diferente, esmerada e que deixe a concorrência na poeira. O FlyingCam testado é todo em alumínio leve e resistente. Vem acondicionado em um case de lona acolchoado que poderia ter algumas melhoras, tipo uma altura menor para não ficar tipo "saco murcho" e um protetor para as mãos nas alças, com felcro, para mais conforto no transporte. Um detalhe simples que pode ser resolvido facilmente pelo fabricante.



Case acolchoado para transporte. Bom, mas com alguns ajustes poderia ficar melhor.


O colete é todo em lona preta com regulagem de altura e largura, bem confortável apesar de esquentar muito durante a operação do sistema. Uma sugestão seria usar forro de E.V.A. com furos que ajudam a arejar o corpo. Mesmo assim é prático e rápido de vestí-lo, bastando encaixar uma base das costas junto a um cinto de velcro e travá-lo no corpo.


Colete dimensionado para vários tamanhos de pessoas.

O eixo de suporte central que acondiciona o gimbal, a base da câmera e os contrapesos é extremamente leve e possui duas aberturas, na base e na parte de cima. Por ali pode-se passar o cabo para gerar sinal de vídeo em um monitor. Os contrapesos possuem ajustes inteligentes para se ajustar o equilíbrio da câmera de forma prática e rápida, sem a necessidade de se ficar acrescentando ou tirando peso.


No corpo do eixo pode-se colocar a marca da Produtora. Um espaço bom de divulgação pois todos olham o operador atuando.

Os braços articulados são os responsáveis pelo equilibrio e suporte da câmera durante a navegação. O kit possui duas molas extras. Tanto no FlyingCam quanto em outros modelos nacionais e importados, o grande diferencial e que torna o equipamento mais caro ou mais barato está concentrado aqui. Braços maiores, molas mais resistentes, reguladores de pressão e outros itens que dão o poder de sustentação a câmera ditam o preço final. No caso do modelo testado estamos colocando uma Sony Z7 com bateria grande e iluminador que geram um peso de uns 3,3 Kg. E o FlyingCam resiste bravamente, mesmo com a informação de que ele foi feito para suportar câmeras de até 3 Kg. Tem produtora em Santa Catarina que substituiu as molas por outras de maior pressão e conseguiram colocar 5 Kg no estabilizador e o equipamento funcionou perfeitamente bem. Sinal de boa resistência.


Braços projetados em menor tamanho facilitam a utilização do FlyingCam em igrejas, cerimoniais e pequenos ambientes

Outra item que poderia ser melhorado é a bandeija ou prato de suporte da câmera. Ele é um pouco avantajado e pesado. Poderia se pensar em trabalhar com um modelo em cruz ou até mesmo de outro material mais fino. Um engate rápido seria bemvindo pois dessa maneira, se o operador desejar, pode se livrar do equipamento em segundos para fazer outro tipo de tomada. Da forma atual, ele precisa de alguns minutos para soltar a câmera, o que pode fazer muita diferença durante a gravação de um vídeo social. O nosso FlyingCam adquirido veio com um defeito de fábrica. O eixo central veio empenado, como se tivesse sofrido uma queda. Depois de muita insistência cobrando o vendedor, finalmente a Dimtec substituiu a peça. Mais um ponto a ser melhorado por parte do fabricante. Um atendimento mais comercial, especializado, e com pós venda. Atualmente a impressão que dá é que estamos ligando para uma residência onde o intercomunicador atende e diz simplesmente "alô?".


Ponto a ser melhorado: o fabricante poderia fazer uma reengenharia do suporte da câmera e incluir um engate rápido.

Estes pontos negativos não diminuem o prazer e o desejo de possuir um FlyingCam da Dimtec. Depois de assistir ao DVD que acompanha o kit e algum treino, já é possivel sair pilotando a câmera voadora e fazer bonito nas produções. Utilizamos atualmente o FlyingCam para gravação de câmera de apoio em igrejas, decorações e entrada de debutante nas festas de 15 anos, sem falar em inúmeros institucionais e corporativos que realizamos todos os dias. Infelizmente o conjunto não suportou a câmera acoplada ao adaptador LETUS e a lente Nikon. Mas ele não foi projetado para isso.

Pegada boa e confortável. O FlyingCam da Dimtec atende bem as funções a que foi feito. Vale a pena investir!

Então fica aqui a minha sugestão para quem quer oferecer um grande diferencial aos seus clientes sem investir um dinheirão em sistemas de estabilização importados ou outros que devem ser carregados na munheca. Pode adquirir sem medo o FlyingCam Dimtec modelo ProLite. Crie movimentos especiais correndo por estradas minúsculas, subindo e descendo escadas, girando em volta de seu objeto de cena, enfim dando asas a sua imaginação. O grande desafio é ser diferente e inovador. A mesmice vende o almoço pra pagar o jantar.
FlyingCam Dimtec. Eu recomendo!


...

● Quem está aqui agora

● Estamos chegando a 2 milhões de acessos!

Twitter Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Download from Blog Template